terça-feira, 24 de maio de 2011

O Amor não Tem nada que Ver com a Idade


Penso saber que o amor não tem nada que ver com a idade, como acontece com qualquer outro sentimento. Quando se fala de uma época a que se chamaria de descoberta do amor, eu penso que essa é uma maneira redutora de ver as relações entre as pessoas vivas. O que acontece é que há toda uma história nem sempre feliz do amor que faz que seja entendido que o amor numa certa idade seja natural, e que noutra idade extrema poderia ser ridículo. Isso é uma ideia que ofende a disponibilidade de entrega de uma pessoa a outra, que é em que consiste o amor.
Eu não digo isto por ter a minha idade e a relação de amor que vivo. Aprendi que o sentimento do amor não é mais nem menos forte conforme as idades, o amor é uma possibilidade de uma vida inteira, e se acontece, há que recebê-lo. Normalmente, quem tem ideias que não vão neste sentido, e que tendem a menosprezar o amor como factor de realização total e pessoal, são aqueles que não tiveram o privilégio de vivê-lo, aqueles a quem não aconteceu esse mistério.

José Saramago

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Um dia no céu...

Sonhei que fui ao Céu e um anjo mostrava as diversas áreas lá existentes.
Entramos numa sala de trabalho cheia de anjos. O anjo-guia parou no primeiro departamento e disse:
-Esta é a Recepção. Aqui, são recebidas as orações com petições a Deus.
Olhei e vi muitos anjos organizando pedidos e bilhetes escritos por pessoas de todo o mundo.
Seguimos até chegarmos à segunda seção.
- Esta é a área de Embalagem e Entrega. Aqui, as graças e bênçãos solicitadas são processadas e entregues às pessoas que as pediram, disse o Anjo.
Notei que, também ali, estavam todos muito ocupados, trabalhando intensamente, tal era a quantidade de bênçãos solicitadas e que deveriam ser enviadas.
Finalmente, paramos em frente a uma pequena área e, para minha surpresa, havia só um anjo sentado ali, desocupado, não fazendo nada.
- Esta é a Seção de Reconhecimento, disse-me calmamente meu amigo, que pareceu embaraçado.
- Como é isso? Não há nenhum trabalho acontecendo por aqui? - Perguntei.
- É tão triste. - O anjo suspirou.
- As pessoas recebem as bênçãos que pediram, porém poucos enviam confirmação de reconhecimento.
- E como se confirma que recebemos as bênçãos de Deus? -Perguntei.
- Simples, basta dizer, Grato Senhor. Respondeu o anjo.
E quais bênçãos devem ser reconhecidas?
- Perguntei.
- Se tens alimento em sua geladeira, roupas nas suas costas, um teto sobre sua cabeça e um lugar para dormir... Você é mais rico que 75% dos moradores deste mundo.
- Se tens dinheiro no banco, em sua carteira e algumas moedas sobrando em casa, você está entre os 8% mais bem sucedidos do mundo!
- Se tens teu próprio computador, você é parte do 1% do mundo que tem essa oportunidade.
- Se você acordou hoje de manhã com mais saúde que doença, és mais abençoado que os muitos que nem sequer sobreviverão a este dia.
- Se nunca experimentaste o temor da batalha, a solidão da prisão, a agonia da tortura, nem as dores de sofrimento e de fome, estás à frente de 700 milhões de pessoas no mundo.
- Se podes ir a uma Igreja, Mesquita ou Sinagoga, sem o temor de apanhar, ser preso, torturado, és abençoado e invejado por mais de três bilhões de pessoas, que não podem reunir-se com outros de sua fé.
- Se teus pais estão vivos e casados, és uma raridade.
- Se podes manter a cabeça erguida e sorrir, não és a norma, és um raro exemplo a tantos que estão em dúvida e em desespero.

Autor desconhecido

sábado, 21 de maio de 2011

SENHOR...

  
Se eu não puder ser o que eu desejo,
Que eu seja o que desejas de mim.

Se eu não puder ser a árvore que dá frutos,
Que eu seja o arbusto que dá sombra. 

Se eu não puder ser o rio que inunda a terra,
Que eu seja a fonte que dá de beber.

Se eu não puder ser uma estrela no céu,
Que eu seja uma luz que anima as esperanças. 

Se eu não puder ser o teto que abriga a todos,
Que eu seja a porta que se abre a quem bate. 

Se eu não puder ser o mar que liga os continentes,
Que eu seja o porto que recebe a nave. 

Se eu não puder ser o bosque que floresce,
Que eu seja o pássaro que nele canta. 

Se eu não puder ser a roseira carregada,
Que eu seja o perfume de uma flor. 

Se eu não puder ser a melodia que enleva,
Que eu seja a inspiração de cada verso. 

Se eu não puder ser o vento que arrebata,
Que eu seja ao brisa que acaricia.
 
Se eu não puder ser o livro que ensina,
Que eu seja a palavra que comove. 

Se eu não puder ser a messe que promete,
Que eu seja o trigo que vai ser o pão. 

Se eu não puder ser o fogo que incendeia,
Que eu seja o óleo que mantém a chama.

Se eu não puder ser a estrada que conduz,
Que eu seja o sinal que marca a direção.

Se eu não puder ser o rico que tudo pode,
Que eu seja o pobre que não nega nada.

Se eu não puder ser a chuva que irriga o solo,
Que eu seja o orvalho que umedece a flor.

Se eu não puder ser o tapete no palácio dos reis,
Que eu seja o agasalho na casa dos pobres.

Se eu não puder ser o sorriso que encanta,
Que eu seja a impressão que ele deixa.

Se eu não puder ser a felicidade que todos buscam,
Que eu seja feliz em ser tudo para todos.

Se eu não puder ser toda a bondade do mundo,
Que eu seja bom como todo o mundo espera.

Se eu não puder ser a eternidade,
Que eu seja o tempo em que tu nos falas.

Se eu não puder ser o amor que tudo começa,
Que eu seja o amor que faz chegar ao fim! 

Padre Orlando Ganbi

sexta-feira, 20 de maio de 2011

E porque hoje é o Dia Europeu do Mar...

"Mar, metade da minha alma é feita de maresia
Pois é pela mesma inquietação e nostalgia,
Que há no vasto clamor da maré cheia,
Que nunca nenhum bem me satisfez.
E é porque as tuas ondas desfeitas pela areia
Mais fortes se levantam outra vez,
Que após cada queda caminho para a vida,
Por uma nova ilusão entontecida.

E se vou dizendo aos astros o meu mal
É porque também tu revoltado e teatral
Fazes soar a tua dor pelas alturas.
E se antes de tudo odeio e fujo
O que é impuro, profano e sujo,
É só porque as tuas ondas são puras."

Sophia de Mello Breyner Andresen

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Declaração de principios


1) Todos os homens são diferentes. E devem fazer o possível para continuar sendo.
2) A todo ser humano foram concedidas duas maneiras de agir: a ação e a contemplação. Ambos levam ao mesmo lugar.
3) A todo ser humano foram concedidas duas qualidades: o poder e o dom. O poder dirige o homem ao encontro com o seu destino, o dom o obriga a dividir com os outros o que há de melhor em si mesmo.
4) A todo ser humano foi dada uma virtude: a capacidade de escolher. O que não utiliza esta virtude, a transforma em uma maldição – e outros escolherão por ele.
5) Todo ser humano tem direito a duas bênçãos, a saber: a bênção de acertar e a bênção de errar. No segundo caso, sempre existe um aprendizado que o conduzirá ao caminho certo.
6) Todo ser humano tem um perfil sexual próprio, e deve exercê-lo sem culpa – desde que não obrigue os outros a exercê-lo com ele.
7) Todo ser humano tem uma Lenda Pessoal a ser cumprida, e esta é a sua razão de estar neste mundo. A Lenda Pessoal manifesta-se através do entusiasmo com sua tarefa.
Parágrafo único
Pode-se abandonar por certo tempo a Lenda Pessoal, desde que não se esqueça dela, e volte assim que for possível.
8) Todo homem tem o seu lado feminino, e toda mulher tem o seu lado masculino. É necessário usar a disciplina com intuição, e usar a intuição com objetividade.
9) Todo ser humano precisa conhecer duas linguagens: a linguagem da sociedade e a linguagem dos sinais. Uma serve para a comunicação com os outros. A outra serve para entender as mensagens de Deus.
10) Todo ser humano tem direito à busca da alegria, e entende-se por alegria algo que o deixa contente – não necessariamente aquilo que deixa os outros contentes.
11) Todo ser humano deve manter viva dentro de si a sagrada chama da loucura. E deve comportar-se como uma pessoa normal.
12) São considerados faltas graves apenas os seguintes itens: não respeitar o direito do próximo, deixar-se paralisar pelo medo, sentir-se culpado, achar que não merece o bom e o mal que lhe acontece na vida, e ser covarde.
Parágrafo 1 – amaremos nossos adversários, mas não faremos alianças com eles. foram colocados no nosso caminho para testar nossa espada, e merecem o respeito de nossa luta.
Parágrafo 2 – escolheremos nossos adversários.
13) Fica decretado o fim do muro que separa o sagrado do profano: a partir de agora, tudo é sagrado.
14) Tudo que é feito no presente afeta o futuro por consequência, e o passado por redenção.
15) O impossível é possível.

Paulo Coelho

quarta-feira, 18 de maio de 2011

“Eu não gosto de abandono, por isso acolho.
Por isso recolho e não costuro sorriso porque chorar é preciso.
Porque não importa se o desenho é feio.
Ou se a ferida é doída.
Ou o dedo do meio foi pra mim.
Eu contorno e de um jeito ou de outro,
sempre tenho uma cor pra mudar a história.
E na vida, a gente aprende que quanto mais a nuvem pesa
e se enche de cinza, mais forte vem a chuva.
Ou o choro.
Sorte é ter um coração cheio de pancadas,
metido em tempestades e sujeito a trovoadas.
Esses sim são corações maduros de forte.
Não de vez.
Tenho um coração de todas as cores.
Que amanhece azul e adormece vermelho
ou bege ou rosa ou verde ou roxo ou…qualquer cor serve,
porque quanto mais cor no coração, aprenda:
mais coragem na vida.”
Vanessa Leonardi

terça-feira, 17 de maio de 2011

“Os grilhões caíram
Sinto-me leve
A respiração é mais fácil
Os problemas foram suplantados
Bastou apenas eu ter me decidido
Quero viver para valer
Deixarei de lado tudo o que for desnecessário
Meu tempo será realmente meu
Enxergarei além do que tenho visto
Usarei meus muitos sentidos
Para ver a perfeita beleza do sol
E a doce riqueza da água
Não fugirei das minhas responsabilidades
Aceitarei e desfrutarei ao cumpri-las
Aprenderei a respeitar meus limites
Não buscarei mais do que posso suportar
Não serei mais meu próprio inimigo
E só oferecerei de mim ao que saiba aproveitar
Darei mais valor a quem está ao meu lado
Aturando meus devaneios por amor
Marido, filho, pai, namorado ou amigo
Olharei para trás e estenderei a mão
Puxando de volta quem eu afastei
Por motivos que já nem sei
Vou dançar apenas no meu ritmo
Só minha guitarra imaginária e eu
Sorrirei sozinha de lembranças antigas
Chorarei por razões que ninguém vai entender
Até um verdadeiro amigo me consolar em um abraço dizendo
“Isso também vai passar, você vai ver”
Hoje retomarei minha liberdade
De escolher o que faço com minha vida
De escolher com quem a divido
De escolher afastar tudo que me faz mal
De escolher a reforma, a mudança, a esperança
Basta eu ter me decidido
Quero viver para valer”
Nanda Meireles

segunda-feira, 16 de maio de 2011

“Exercício
Pego num pedaço de silêncio. Parto-o ao meio,
e vejo saírem de dentro dele as palavras que
ficaram por dizer. Umas, meto-as num frasco
com o álcool da memória, para que se
transformem num licor de remorso; outras,
guardo-as na cabeça para as dizer, um dia,
a quem me perguntou o que significavam.
Mas o silêncio de onde as palavras saíram
volta a espalhar-se sobre elas. Bebo o licor
do remorso; e tiro da cabeça as outras palavras
que lá ficaram, até o ruído desaparecer, e só
o silêncio ficar, inteiro, sem nada por dentro.”

NUNO JÚDICE

domingo, 15 de maio de 2011

“Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo.
Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas tentativas de aproximação.
Tenho vergonha de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso.
A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso.
A única magia que existe é a nossa incompreensão.”

Caio Fernando Abreu

Pensei...


“Pensei um dia que era determinada, grande erro sou teimosa e demoro a escolher.
Pensei um dia que conseguiria resolver todas as coisas, durante muito tempo foi assim, agora, estou cansada, desesperada por um colo, por outras mãos a me acompanhar, a comigo plantar.
Pensei um dia que era feliz, eu sou feliz mas, contenho, desaprendi compartilhar o melhor e o pior de mim.
Pensei um dia ser extrovertida, mentira sou contida, intimista, misteriosa de mim.
Pensei um dia que tinha muitos amigos, que tinha facilidade em faze-los, outro engano, não sei mantê-los e logo sou esquecida e, eles passam ser minha nostalgia.
Pensei um dia ser um tanto racional, e quanto engano vivo de ilusões, de sonhos mal resolvidos.
Pensei um dia ser capaz, sou mas a mim também pertence às incapacidades do sou.
Pensei um dia ser amada, retrocesso, meu jeito de amar não combina com amor.
Pensei ser muito inovadora, outro erro sou acomodada ao tempo, ao passado, ao futuro e meu presente passou.
Pensei um dia que não conseguiria ser, mas, aqui estou e sou.”
Leslie Holanda
“A amizade
É ter certeza do carinho
É saber qual é o momento
De falar ou de estar calada
É dividir alegria e tristeza
Daqueles que estão ao seu lado
É ter toda a certeza
De amar e ser amada
É respeitar os espaços diversos
É oferecer a mão amiga
E tê-la sempre estendida
É silenciar o segredo
Por amor e não por medo
É ouvir a voz sofrida...
É cumplicidade
que não se explica.
É reciprocidade...

Isso é amizade!"

Helen Steiner Rice

“O que é preciso é entender a solidão!
O que é preciso é aceitar, mesmo, a onda amarga que leva os mortos.
O que é preciso é esperar pela estrela que ainda não está completa.
O que é preciso é que os olhos sejam cristal sem névoa, e os lábios de ouro puro.
O que é preciso é que a alma vá e venha; e ouça a notícia do tempo, e entre os assombros da vida e da morte, estenda suas diáfanas asas, isenta por igual.
De desejo e de desespero.”

Cecília Meireles

sábado, 14 de maio de 2011

“Confesso que ando muito cansado, sabe?

“Confesso que ando muito cansado, sabe?
 (...) Mas um cansaço diferente. Um cansaço de não querer mais reclamar, de não querer pedir, de não fazer nada, de deixar as coisas acontecerem. Confesso que às vezes me dão umas crises de choro que parecem não parar, um medo e ao mesmo tempo uma certeza de tudo que quero ser, que quero fazer. Confesso que você estava em todos esses meus planos, mas eu sinto que as coisas vão escorrendo entre meus dedos, se derramando, não me pertecendo. Estou realmente cansado. Cansado e cansado de ser mar agitado, de ser tempestade… quero ser mar calmo. Preciso de segurança, de amor, de compreensão, de atenção, de alguém que sente comigo e fale: “Calma, eu estou com você e vou te proteger! Nós vamos ser fortes juntos, juntos, juntos.” Confesso que preciso de sorrisos, abraços, chocolates, bons filmes, paciência e coisas desse tipo. Confesso, confesso, confesso. Confesso que agora só espero você.”

Caio Fernando Abreu
“Eu procuro por mim.
Eu procuro por tudo o que é meu
e que em mim se esconde.
Eu procuro por um saber que ainda não sei,
mas que de alguma forma já sabe em mim.
Eu sou assim…
processo constante de vir a ser.
O que sou e ainda serei
são verbos que se conjungam
sob áurea de um mistério fascinante.
Eu me recebo de Deus e a Ele me devolvo.
Movimento que não termina porque terminar
é o mesmo que deixar de ser.
Eu sou o que sou na medida em que me permito ser.
E quando não sou é porque o ser não soube escolher.”
Padre Fábio de Melo
"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver; acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens."
Fernando Pessoa


“Quando a gente ouve falar em talento pensa logo em artista, em gente famosa...
Talentoso não é só quem aparece em jornais, revistas e tv.
Talento é como impressão digital:
Cada um tem o seu e nunca é igual ao do outro.

Muita gente fala que não tem
Talento pra nada.
Se a gente achar que só os gênios ou os ganhadores do Oscar tem talento, fica difícil ver talento em nós mesmos.

Talento não tem que ser notícia, nem recorde, nem ibope.
Talento é aquela coisa que a gente faz com naturalidade e faz bem feito!
Tem gente que nasceu pra cuidar de casa. Você acha pouco?
Administrar uma família exige talento...

Tem gente que passa a vida feliz, só consertando carros. Mexer num motor exige talento...
Eu vejo talento nas mínimas coisas.

O sorriso de um balconista, por exemplo, me chama a atenção pra um talento raro hoje em dia:
O talento de ser gentil e atencioso.
Eu conheço gente que não tem habilidade nenhuma na cozinha, mas que tem um talento enorme pra reunir pessoas em volta de uma mesa.
Aí os jantares ficam inesquecíveis.
Eu valorizo muito o talento, por menos visível que ele seja.

Você não precisa subir num palco pra mostrar que tem talento.
Por trás de um grande espetáculo, tem muito talento em jogo.
Do diretor...
Ao funcionário encarregado de abrir e fechar as cortinas.

Tenha orgulho do seu talento, mesmo que ele não vire notícia.
Mesmo que ele pareça tolo aos olhos dos outros.
Você é único no que faz.
Principalmente se faz com dedicação e humildade.”


Lena Gino

sexta-feira, 13 de maio de 2011

“Pessoas perfeitas são como Viena, uma cidade linda, limpa, onde tudo funciona e você quase morre de tédio. Pessoas, como cidades, não precisam ser excessivamente bonitas.
É fundamental que tenham sinais de expressão no rosto, um nariz com personalidade, um vinco na testa que as caracterize. Pessoas, como cidades, precisam ser limpas, mas, não ao ponto de não possuírem máculas.
É preciso suar na hora do cansaço, é preciso ter um cheiro próprio, uma camiseta velha para dormir, um jeans quase transparente de tanto que foi usado, um batom que escapou dos lábios depois de um beijo, um rímel que borrou um pouquinho quando você chorou.
Pessoas, como cidades, têm que funcionar, mas não podem ser previsíveis.
De vez em quando, sem abusar muito da licença, devem ser insensatas, ligeiramente passionais, demonstrar um certo desatino, ir contra alguns prognósticos, cometer erros de julgamento e pedir desculpas depois, pedir desculpas sempre, para poder ter crédito e errar outra vez.
Pessoas, como cidades, devem dar vontade de visitar, devem satisfazer nossa necessidade de viver momentos sublimes, devem ser calorosas, ser generosas e abrir suas portas, devem nos fazer querer voltar, porém não devem nos deixar 100% seguros, nunca. Uma pequena dose de apreensão e cuidado devem provocar.
Nunca deve-se deixar os outros esquecerem que pessoas, assim como cidades, têm rachaduras internas, portanto podem surpreender.
Falhas. Agradeça as suas, que é o que humaniza você, e nos fascina.”

Martha Medeiros
“Tenho medo de ser hipócrita. Tenho medo de simular uma coragem que não possuo, uma resposta à qual não dê crédito. Medo da palavra que finge caridade, que simula o acolhimento, quando na verdade o que existe é total e vergonhosa indiferença. Tenho medo de fingir uma fé que não professo. Realizar um rito que não me envolve, que não me devolve, que não me transforma e que por isso não me oferece aos outros.
Meu amigo, talvez seja por isso que eu ame tanto a poesia. Ela é um lugar especial onde as verdades humanas se mostram sem máscaras. O medo da dor, da solidão, da morte, da perda, tudo está tão à mostra nos manuscritos confessos. O poeta e sua revelação.
A vida crua, real ainda que em palavras. O poeta e sua transfiguração. Nele e a partir dele a humanidade alcança a hermenêutica como se o fogo da verdade fosse novamente retirado do Olimpo e entregue aos homens. A poesia ameniza o peso dos medos, porque o amor resolveu fazer sua casa nos terrenos da linguagem poética.
Há poema mais bonito que um gesto de amor? Até os iletrados são capazes dessa literatura.”

Padre Fábio de Melo

quarta-feira, 11 de maio de 2011


“Se tenho de ser fiel a alguém ou a alguma coisa, em primeiro lugar tenho de ser fiel a mim mesma. A pouca experiência de vida que tenho ensinou-me que ninguém é dono de nada, e isso vai dos bens materiais aos bens espirituais. Quem já perdeu alguma coisa que tinha como garantida (algo que já me aconteceu tantas vezes), acaba por aprender que nada lhe pertence. E se nada me pertence, não preciso gastar o meu tempo cuidando das coisas que não são minhas; é melhor viver como se hoje fosse o primeiro ou o último dia da minha vida.”
Paulo Coelho

"Pessoas entram na sua vida por uma "Razão", uma "Estação" ou uma "Vida Inteira". Quando você percebe qual deles é, você vai saber o que fazer por cada pessoa.

Quando alguém está em sua vida por uma "Razão"... é, geralmente, para suprir uma necessidade que você demonstrou. Elas vêm para auxiliá-lo numa dificuldade, te fornecer orientação e apoio, ajudá-lo física, emocional ou espiritualmente. Elas poderão parecer como uma dádiva de Deus, e são! Elas estão lá pela razão que você precisa que eles estejam lá. Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte, ou em uma hora inconveniente, esta pessoa vai dizer ou fazer alguma coisa para levar essa relação a um fim. Ás vezes, essas pessoas morrem. Ás vezes, eles simplesmente se vão. Ás vezes, eles agem e te forçam a tomar uma posição. O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas, nossos desejos preenchidos e o trabalho delas, feito. As suas orações foram atendidas. E agora é tempo de ir.

 Quando pessoas entram em nossas vidas por uma "Estação", é porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender. Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir. Elas poderão ensiná-lo algo que você nunca fez. Elas, geralmente, te dão uma quantidade enorme de prazer... Acredite! É real! Mas somente por uma "Estação".

Relacionamentos de uma "Vida Inteira" te ensinam lições para a vida inteira: coisas que você deve construir para ter uma formação emocional sólida. Sua tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa, e colocar o que você aprendeu em uso em todos os outros relacionamentos e áreas de sua vida. É dito que o amor é cego, mas a amizade é clarividente. Obrigado por ser parte da minha vida.

 Pare aqui e simplesmente SORRIA."


Martha Medeiros
“Se eu pudesse deixar algum presente a vocês, deixaria acesso ao sentimento de amor à vida dos seres humanos, e consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora. Lembraria dos erros cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para vocês, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão e do trabalho, além do trabalho e da ação, e quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar o interior de si mesmo, a resposta é a força para encontrar a saída.”

Mahatma Gandhi

terça-feira, 10 de maio de 2011

“Quando me perguntam "quando é que a vida fica mais simples?", eu respondo: não fica! Mas podemos aprender a lidar melhor com ela.
Quando somos enviados ao planeta Terra, nós nos matriculamos na "escola da vida" para sempre – o que significa que enquanto estivermos respirando, a aula continua.
Infelizmente, costumamos pensar que quando tivermos passado pela pré-escola, o primeiro grau, a puberdade e começamos a trabalhar, a vida se tornará mais fácil. Tolice. Mas ninguém nos avisou disso; não é de admirar que fiquemos frustrados. Aí, olhamos para os outros, que a distância, nos dão a impressão de estar passando maravilhosamente; outro engano, porque eles também têm lá os seus problemas.
Todos nós enfrentamos desafios constantemente. Então, como conseguir não enlouquecer? Isso vai depender da maneira como você lida com a vida. Pra começar, suba um degrau de cada vez; depois, nunca diga algo do tipo "não vou relaxar enquanto não...". Relaxe e aproveite a vida enquanto ainda está no meio do caminho.
Outra coisa: pergunte constantemente "o que estou aprendendo com isso?". E lembre-se: ninguém jamais consegue arrumar a vida em compartimentos bem ordenados. As pessoas vêem a felicidade como uma espécie de miragem distante, como se estivessem se arrastando no deserto e à frente houvesse uma placa dizendo FELICIDADE. Isso não existe! A felicidade acontece agora, onde você está. Ou então imagine isso logicamente. Alguém afirma: "não dá pra ser feliz agora porque o banheiro está sendo reformado; mas no mês que vem...". Só que, no mês seguinte, as crianças pegam uma gripe, a gata fica no cio, os parentes vêm passar uma temporada em casa. E aí, essa pessoa continua dizendo... "quem sabe no próximo mês".”

Andrews Mathews

Lições de Vida


“- A vida não é justa, mas é boa, mesmo assim.
- A vida é demasiada curta para perderes o teu tempo a detestar quem quer que seja.
- O teu trabalho não tomará conta de ti quando estiveres doente. Os teus amigos e a tua família fá-lo-ão. Mantém, por isso, o contato com eles.
- Quando estiveres em dúvida, dá um passo em frente.
- Chora com alguém. É melhor do que chorar sozinho.
- Não há problema em zangares com Deus. Ele consegue suportar isso.
- Quando se trata de chocolate, toda a resistência é inútil.
- Faz as pazes com o teu passado, de maneira a não complicares o teu presente.
- Não compares a tua vida com a dos outros. Não fazes idéia do que é o caminho deles.
- Respira fundo. Isso acalma o espírito.
- Desembaraça-te de tudo o que não for necessário, belo ou feliz.
- Nunca é demasiado tarde para uma infância feliz. Mas, da segunda vez, só te diz respeito a ti, a mais ninguém.
- Acende velas, utiliza belos tecidos, veste roupas bonitas. Não guardes isso para uma ocasião especial. Hoje é um dia especial.
- Sê excêntrico agora. Não esperes por ser velho para usar a cor vermelha.
- Ninguém é responsável pela tua felicidade, senão tu.
- Enquadra cada pretensa catástrofe por estas palavras: “dentro de cinco anos, isto terá importância”?
- O tempo cura quase tudo. Dá tempo ao tempo. Por muito boa ou má que seja a situação, ela vai mudar.
- O órgão sexual mais importante é o cérebro.
- Prepara-te para tudo, depois deixa-te levar pela vaga.
- O que conta verdadeiramente no fim, é que tenhas amado.
- Se amontoássemos os nossos problemas e víssemos depois a pilha dos problemas dos outros, com certeza retomaríamos os nossos.
- O desejo é uma perda de tempo. Já tens tudo de que necessitas.
- O melhor está para vir.
- Que importa como te sentes? Levanta-te, veste-te e participa.
- A vida não está decorada com uma fita, mas, ainda assim, é um presente.”

Autor desconhecido

segunda-feira, 9 de maio de 2011

“Para que serve um amigo? Para rachar a gasolina, emprestar a prancha, recomendar um disco, dar carona pra festa, passar cola, caminhar no shopping, segurar a barra. Todas as alternativas estão corretas, porém isso não basta para guardar um amigo do lado esquerdo do peito.
Milan Kundera, escritor tcheco, escreveu em seu último livro, “A Identidade”, que a amizade é indispensável para o bom funcionamento da memória e para a integridade do próprio eu. Chama os amigos de testemunhas do passado e diz que eles são nosso espelho, que através deles podemos nos olhar. Vai além: diz que toda amizade é uma aliança contra a adversidade, aliança sem a qual o ser humano ficaria desarmado contra seus inimigos.
Verdade verdadeira. Amigos recentes custam a perceber essa aliança, não valorizam ainda o que está sendo contruído. São amizades não testadas pelo tempo, não se sabe se enfrentarão com solidez as tempestades ou se serão varridos numa chuva de verão. Veremos.
Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises de choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos.
Um amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta.
Um amigo não recomenda apenas um disco. Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país.
Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele, e topa conhecer o teu.
Um amigo não passa apenas cola. Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon.
Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado.
Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém.”

Martha Medeiros

sábado, 7 de maio de 2011


“É preciso saber, sempre, quando se acaba uma etapa da vida. Se insistirmos em permanecer nela, depois do tempo necessário, perderemos a alegria e o sentido do resto…
Fechando círculos, fechando portas ou fechando capítulos, como queira chamar, o importante é poder fechá-los, deixar ir momentos da vida que se vão enclausurando.
Terminou seu trabalho? Acabou a relação? Já não mora mais nessa casa?
A amizade acabou? Você pode passar muito tempo do seu presente dando voltas ao passado, tentando modificá-lo… O desgaste será infinito, porque na vida, você, seus amigos, filhos, irmãos, todos estamos destinados a fechar capítulos, virar páginas, terminar etapas ou momentos da vida, e seguir adiante…
Não podemos estar no presente sentindo falta do passado. O que aconteceu, aconteceu. Não podemos ser filhos para sempre, nem adolescentes eternos, nem empregados de empresas inexistentes, nem ter vínculos com quem não quer ou não pode estar vinculado a nós…
Os acontecimentos passam e temos que deixá-los ir! Por isso, às vezes é tão importante esquecer de lembrar, trocar de casa, rasgar papéis, jogar fora presentes desbotados, dar ou vender livros…
As mudanças externas podem simbolizar processos interiores de superação. Deixar ir, soltar, desprender-se… Na vida ninguém joga com cartas marcadas, e tem que aprender a perder e a ganhar. O passado passou: não espere que o devolvam.
Também não espere reconhecimento, ou que saibam quem você é. A vida segue para frente, nunca para trás.
Se você anda pela vida deixando portas abertas nunca poderá desprender-se, nem viver o hoje com satisfação. Namoros ou amizades que não se fecham, possibilidades de regresso a quê? …Necessidade de esclarecimentos, palavras que não foram ditas, silêncios… Se você pode enfrentá-los agora, que o faça! Não por orgulho ou soberba, mas porque você já não se encaixa ali, naquele lugar, naquele coração, naquela casa, naquele escritório, naquele cargo…
Você já não é o mesmo que foi há dois dias, há três meses, há um ano…
Portanto, nada tem que voltar.
Feche a porta, vire a página, feche o círculo! Você nunca será o mesmo, nem o mundo a sua volta, porque a vida não é estática. É saúde mental, amor por você mesmo, desprender-se do que já não está em sua vida. Lembre-se de que nada, nem ninguém, é indispensável.
É um trabalho pessoal aprender a viver com o que dói, deixar-se ir. É processo de aprender a desprender-se. E isso ajudará definitivamente a seguir para frente com tranquilidade.

Essa é a vida!”

Sônia Hurtado

sexta-feira, 6 de maio de 2011

“Jogo a minha rede no mar da vida e às vezes, quando a recolho, descubro que ela retorna vazia. Não há como não me entristecer e não há como desistir. Deixo a lágrima correr, vinda das ondas que me renovam, por dentro, em silêncio: dor que não verte, envenena. O coração marejado, arrumo, como posso, os meus sentimentos. Passo a limpo os meus sonhos. Ajeito, da melhor forma que sei, a força que me move. Guardo a minha rede e deixo o dia dormir.
Com toda a tristeza pelas redes que voltam vazias, sou corajosa o bastante para não me acostumar com essa ideia. Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede. Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas.
Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar. E eu estarei lá na beira da praia de novo.”

Ana Jácomo
“Que comece agora.
E que seja permanente essa vontade de ir além daquilo que me espera.
E que eu espero também.
Uma vontade de ser.
Àquele, que nasceu comigo e que me arrasta até a borda pra ver as flores que deixei de rastro pelo caminho.
Que me dê cadência das atitudes na hora de agir.
Que eu saiba puxar lá do fundo do baú, o jeito de sorrir pros nãos da vida.
Que as perdas sejam medidas em milímetros e que todo ganho não possa ser medido por fita métrica nem contado em reais.
Que minha mochila esteja cheia de papéis coloridos e desenhados à giz de cera pelo anjo que mora comigo.
Que as relações criadas sejam honestamente mantidas e seladas com abraços longos.
Que eu possa também abrir espaço pra cultivar a todo instante as sementes do bem e da felicidade de quem não importa quem seja ou do mal que tenha feito para mim.
Que a vida me ensine a amar cada vez mais, de um jeito mais leve.
Que o respeito comigo mesmo seja sempre obedecido com a paz de quem está se encontrando e se conhecendo com um coração maior.
Um encontro com a vontade de paz e o desejo de viver.”

Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 5 de maio de 2011

“Todos os dias o meu silêncio procura no outro o olhar capaz de embalar o meu mundo e proteger todas as delicadezas que penteiam a vida quando a demora desarruma o tempo. Por isso abro as janelas para as simplicidades e histórias bonitas que aquecem a memória e amortecem a queda desses ontes tão bobos no peito. É que para retornar com a alma líquida e os olhos ventando sorrisos, o novo precisa desaguar no agora e alcançar o coração do dia. E sabe, tem sido tão mais sincero florescer nesses becos quando eu não encontro aquela vontade de fazer um amor-feliz-para-sempre. Por que alguns simplesmente não querem. Mas eu quero muito e sei amar bonito qualquer coisa que arrepie os meus pêlos e acolha os meus sonhos.

Nesses dias pareço ser um tanto mais forte e não conto com acasos, perdas, nem encontros. Levo uma fé tão comprida nos olhos que acabo feliz por dentro.”

Priscila Rôde
"Há algum tempo atrás, li um livro que comparava a vida com uma viagem de comboio. Uma leitura extremamente interressante, quando é bem interpretada, pois a vida não é mais do que uma viagem de comboio, repleta de embarques e desembarques, salpicados por acidentes, surpresas agradáveis nalgumas estações e profundas tristezas noutras.
Ao nascer, subimos para o comboio e encontramo-nos com algumas pessoas que acreditamos que estarão sempre connosco nesta viagem: os nossos pais.
Lamentavelmente, a verdade é outra. Eles sairão nalguma estação, deixando-nos órfãos do seu carinho, amizade e da sua companhia insubstituível. Apesar disto, nada impede que entrem outras pessoas que serão muito especiais para nós. Chegam os nossos irmãos, amigos e esses maravilhosos amores. De entre as pessoas que apanham este comboio, também haverá quem o faça como um simples passeio. Outros, só encontrarão tristeza nessa viagem e, outros também, que circulando pelo comboio, estarão sempre prontos para ajudar quem precisa. Muitos, quando descem do comboio, deixam uma permanente saudade… Outros passam tão despercebidos que nem reparamos que desocuparam o lugar…
Às vezes, é curioso constatar que alguns passageiros, que nos são muito queridos, se instalam noutras carruagens, diferentes da nossa. Assim, temos de fazer o trajecto longe deles. No entanto, nada nos impede que, durante a viagem, percorramos a nossa carruagem, com alguma dificuldade, e cheguemos ao pé deles. Lamentavelmente, já não nos poderemos sentar ao seu lado, pois estará outra pessoa a ocupar o lugar. Não importa, a viagem faz-se deste modo, cheia de desafios, sonhos, fantasias, esperas e despedidas… mas nunca de retornos!
Então, façamos esta viagem da melhor maneira possível. Tratemos de nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando, em cada um, o melhor deles.
Recordemos sempre que nalgum ponto do trajecto, eles poderão hesitar ou vacilar e, provavelmente, vamos precisar de os entender… Como nós também vacilamos muitas vezes, haverá sempre alguém que nos compreenda. No fim, o grande mistério é que nunca saberemos em que estação vamos sair, nem, muito menos, onde sairão os nossos companheiros, nem sequer aquele que está sentado ao nosso lado.
Fico a pensar se, quando sair do comboio, sentirei nostalgia… acredito que sim! Separar-me de alguns amigos com quem fiz a viagem, será doloroso… Deixar que os meus filhos sigam sozinhos, será muito triste… No entanto, agarro-me à esperança que nalgum momento, chegarei à estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram. O que me fará feliz, é pensar que colaborei para que a sua bagagem crescesse e se tornasse valiosa.
Meu amigo, façamos com que a nossa estadia neste comboio seja tranquila e que tenha valido a pena. Esforcemo-nos para que, quando chegar o momento de desembarcar, o nosso lugar vazio deixe saudades e belas recordações para todos os que continuam a viagem.
Para ti, que és parte do meu comboio, desejo-te um Viagem Feliz! …"
Anónimo

quarta-feira, 4 de maio de 2011

“Já observou a atitude dos pássaros ante às adversidades?
Ficam dias e dias fazendo seu ninho, recolhendo materiais, às vezes trazidos de locais distantes...
E quando já ele está pronto e estão preparados para por os ovos, as inclemências do tempo ou a ação do ser humano ou de algum animal destrói o que com tanto esforço se conseguiu...
O que faz o pássaro?
Pára, abandona a tarefa?
De maneira nenhuma. Começa, uma outra vez, até que no ninho apareçam os primeiros ovos.
Muitas vezes, antes que nasçam os filhotes, um animal, uma criança, uma tormenta, volta a destruir o ninho, mas agora com seu precioso conteúdo...
Dói recomeçar do zero... Mas ainda assim o pássaro jamais emudece, nem retrocede, segue cantando e construindo, construindo e cantando...
Já sentiu que sua vida, seu trabalho, sua família, seus amigos não são o que você sonhou?
Tem vontade de dizer basta, não vale a pena o esforço, isto é demasiado para mim?
Você está cansado de recomeçar, do desgaste da luta diária, da confiança traída, das metas não alcançadas quando estava a ponto de conseguir?
Mesmo que a vida o golpeie mais uma vez, não se entregue nunca, faça uma oração, ponha sua esperança na frente e avance.
Não se preocupe se na batalha seja ferido, é esperado que algo assim aconteça.
Junte os pedaços de sua esperança, arme-a de novo e volte a ir em frente.
Não importa o que você passe... Não desanime, siga adiante.
A vida é um desafio constante, mas vale a pena aceitá-lo. E sobretudo... Nunca deixe de cantar.”

Blandinne
”Às vezes a gente vai-se fechando dentro da própria cabeça, e tudo começa a parecer muito mais difícil do que realmente é. Eu acho que a gente não deve perder a curiosidade pelas coisas: há muitos lugares para serem vistos, muitas pessoas para serem conhecidas…

Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo, e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros.
 (…)
 Ando meio fatigada de procuras inúteis e sedes afetivas insaciáveis…
 Meu coração está ferido de amar errado…

Acho espantoso viver, acumular memórias, afetos…
É preciso estar distraído e não esperando absolutamente nada.

Não há nada a ser esperado. Nem desesperado…

Estou exausta de construir e demolir fantasias”
 
Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 2 de maio de 2011

“Tome a tua vida em tuas mãos, e não entregue a direção dela a ninguém.
Por mais que te amem, por mais que desejem, o teu bem, só você é capaz de sentir o que realmente sente, e aquilo que você passa de impressão para os outros, nem sempre corresponde ao que vai na sua alma.
Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa?
Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto?
Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar e ficou por educação, respeito ou medo?
Quantas vezes desejou apenas um beijo, e ficou com a boca seca esperando o que não veio?
Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço, um consolo, uma palavra amiga e só recebeu ingratidão?
Quantos passos foram necessários para chegar até onde você chegou?
Quantos sabem dar o valor ao que você realmente merece?
Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer, vestir as suas dores ninguém quer, saber dos seus problemas, só se for por curiosidade, por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém, nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa, você não vai viver...
Vai viver sim, o mundo continua girando, e se você deixar, pode te trazer algo muito melhor.
Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao Sul, lá onde a placa diz "caminho do sol", bem na curva da felicidade, que te espera sem pressa, para viver com amor e intensidade, a paz, a harmonia e a felicidade.”
Paulo Roberto Gaefke

Curso de Formação de Maridos

Objetivo pedagógico:

Permite aos homens desenvolver a parte do corpo da qual ignoram a existência (o cérebro).


São 4 módulos:

Módulo 1: Introdução (Obrigatório)

1 - Aprender a viver sem a mamãe. (2.000 horas)
2 - Minha mulher não é minha mãe. (350 horas)
3 - Entender que não se classificar para o Mundial não é a morte. (500 horas)

Módulo 2: Vida a dois

1 - Ser pai e não ter ciúmes do filho. (50 horas)

2 - Deixar de dizer impropérios quando a mulher recebe suas amigas. (500 horas)

3 - Superar a síndrome do 'o controle remoto é meu'. (550 horas)
4 - Não urinar fora do vaso. (1000 horas - exercícios práticos em vídeo)
5 - Entender que os sapatos não vão sozinhos para o armário. (800 horas)

6 - Como chegar ao cesto de roupa suja. (500 horas)

7 - Como sobreviver a um resfriado sem agonizar. (450 horas)


Módulo 3: Tempo livre

1 - Passar uma camisa em menos de duas horas. (exercícios práticos)

Módulo 4: Curso de cozinha

1 - Nível 1. (principiantes - os eletrodomésticos) ON/OFF = LIGA/DESLIGA

2 - Nível 2. (avançado) Minha primeira sopa instantânea sem queimar a Panela.

3 - Exercícios práticos Ferver a água antes de por o macarrão.

Cursos Complementares

Por razões de dificuldade, complexidade e entendimento dos temas, os cursos terão no máximo três alunos.

1 - A eletricidade e eu: vantagens econômicas de contar com um técnico competente para fazer reparos.
2 - Cozinhar e limpar a cozinha não provoca impotência nem homossexualidade. (práticas em laboratório)

3 - Porque não é crime presentear com flores, embora já tenha se casado com ela. (essa é muuuito importante)
4 - O rolo de papel higiênico: Ele nasce ao lado do vaso sanitário?
(biólogos e físicos falarão sobre o tema da geração espontânea)
5 - Como baixar a tampa do vaso passo a passo. (teleconferência)
6 - Porque não é necessário agitar os lençóis depois de emitir gases intestinais. (exercícios de reflexão em dupla)

7 - Os homens dirigindo, podem SIM, pedir informação sem se perderem ou correr o risco de parecerem impotentes. (testemunhos)
8 - O detergente: doses, consumo e aplicação. Práticas para evitar acabar com a casa.

9 - A lavadora de roupas: esse grande mistério.

10 - Diferenças fundamentais entre o cesto de roupas sujas e o chão (exercícios com musicoterapia)
11 - A xícara de café: ela levita, indo da mesa à pia? (exercícios Dirigidos por Mister M)

12 - Analisar detidamente as causas anatômicas, fisiológicas e/ou psicológicas que não permitem secar o banheiro depois do banho.


O curso é gratuito para homens solteiros e para os casados: bolsas de estudo.

Autor Desconhecido

domingo, 1 de maio de 2011

Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Tenho medo da vida, minha mãe.
Canta a doce cantiga que cantavas
Quando eu corria doido ao teu regaço
Com medo dos fantasmas do telhado.
Nina o meu sono cheio de inquietude
Batendo de levinho no meu braço
Que estou com muito medo, minha mãe.
Repousa a luz amiga dos teus olhos
Nos meus olhos sem luz e sem repouso
Dize à dor que me espera eternamente
Para ir embora. Expulsa a angústia imensa
Do meu ser que não quer e que não pode
Dá-me um beijo na fonte dolorida
Que ela arde de febre, minha mãe.
Aninha-me em teu colo como outrora
Dize-me bem baixo assim: - Filho, não temas
Dorme em sossego, que tua mãe não dorme.
Dorme. Os que de há muito te esperavam
Cansados já se foram para longe.
Perto de ti está tua mãezinha
Teu irmão que o estudo adormeceu
Tuas irmãs pisando de levinho
Para não despertar o sono teu.
Dorme, meu filho, dorme no meu peito
Sonha a felicidade. Velo eu
Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Me apavora a renúncia. Dize que eu fique
Afugenta este espaço que me prende
Afugenta o infinito que me chama
Que eu estou com muito medo, minha mãe

Vinicius de Moraes

JukeBox

Palavras para a Minha Mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz.
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente.

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente.

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo,
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz.

lê isto: mãe, amo-te.

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.

José Luís Peixoto, in "A Casa, a Escuridão"

Mãe...

Mãe — que adormente este viver dorido,
E me vele esta noite de tal frio,
E com as mãos piedosas ate o fio
Do meu pobre existir, meio partido...

Que me leve consigo, adormecido,
Ao passar pelo sítio mais sombrio...
Me banhe e lave a alma lá no rio
Da clara luz do seu olhar querido...

Eu dava o meu orgulho de homem — dava
Minha estéril ciência, sem receio,
E em débil criancinha me tornava.

Descuidada, feliz, dócil também,
Se eu podesse dormir sobre o teu seio,
Se tu fosses, querida, a minha mãe!

Antero de Quental, in "Sonetos"

Quando Eu For Pequeno

Quando eu for pequeno, mãe,
quero ouvir de novo a tua voz
na campânula de som dos meus dias
inquietos, apressados, fustigados pelo medo.
Subirás comigo as ruas íngremes
com a certeza dócil de que só o empedrado
e o cansaço da subida
me entregarão ao sossego do sono.

Quando eu for pequeno, mãe,
os teus olhos voltarão a ver
nem que seja o fio do destino
desenhado por uma estrela cadente
no cetim azul das tardes
sobre a baía dos veleiros imaginados.

Quando eu for pequeno, mãe,
nenhum de nós falará da morte,
a não ser para confirmarmos
que ela só vem quando a chamamos
e que os animais fazem um círculo
para sabermos de antemão que vai chegar.

Quando eu for pequeno, mãe,
trarei as papoilas e os búzios
para a tua mesa de tricotar encontros,
e então ficaremos debaixo de um alpendre
a ouvir uma banda a tocar
enquanto o pai ao longe nos acena,
lenço branco na mão com as iniciais bordadas,
anunciando que vai voltar porque eu sou
[pequeno
e a orfandade até nos olhos deixa marcas.

José Jorge Letria, in "O Livro Branco da Melancolia"